domingo, 16 de julho de 2017

Hola!

Recentemente recebi uma visita duma blogger espanhola e dei por mim a pensar numa situação ocorrida comigo há uns aninhos atrás. Vou explicar:
Eu era fã do Ricky Martin e comprei todos os cd's que podia. Entretanto, os anos passaram e a febre pelo moço desvaneceu. Anos depois (em 2005 creio), eu estava na net a jogar snooker online quando falo com um jogador mexicano. Ele diz que eu falo bem espanhol e pergunta onde aprendi e eu disse-lhe que era ao ouvir as musicas do Ricky Martin. Ele pergunta-me se eu gostava dele e eu disse que sim e solta a bomba: "mas sabes que ele é gay, não?" Se ele tivesse perguntado isto há uns anos atrás, eu soltaria todas as pragas do Egito (ai céus, Egito sem o p) em cima dele mas só lhe disse que não acreditava nisso (povo enganado!). Então ele diz que um amigo de um amigo do filho dele, foi convidado para ir ao quarto de hotel do cantor para um encontro sexual. Não sei se a historia era verdade ou não mas a parte dele ser gay foi confirmada pelo próprio em 2010. 
E o que tem esta historia a ver com a blogger? Meu povo, a falta do Ricky Martin na minha vida diminuiu drasticamente a qualidade do meu espanhol e tive de valer-me do tradutor online para responder à minha visitante. Não sei se correu lá muito bem mas na dúvida faço como o Pablo Alboran e digo: perdóname! 😄

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Deve ser do calor...

...mas andei a ter sonhos indecentes com este:
imagem do site http://gshow.globo.com/
e este:
imagem do site https://blog.beard.com.br/
Ai a minha vida a dormir é bemmm mais interessante do que acordada. 😁

sábado, 1 de julho de 2017

Porque hoje é dia 1

Amigas e amigos,
Escrevo-vos esta carta para dizer que não há novidades.
O calor aperta, a preguiça aumenta e os neurónios fritam. Volto assim que a onda de calor acabar ou quando vocês menos esperarem.
Abraços e beijos.

Viciei nesta musica:

terça-feira, 13 de junho de 2017

Dizem que é para melhorar

A junta de freguesia é responsável pelas pequenas obras no local onde preside. Como tal, as veredas limpas, os caminhos livres de ervas daninhas e pequenas obras de reparação como tapamento de buracos com cimento, são da sua responsabilidade. Ultimamente tenho visto o "empenho" da junta em melhorar (dizem eles) o acesso para pessoas com pouca mobilidade. Ora como toda a gente sabe, a nossa ilha é cheia de inclinações e casas onde só foram construídas veredas pedonais porque era impossível o acesso automóvel. Essas veredas são normalmente inclinadas e cheias de degraus. Uma pessoa com dificuldade para subir um degrau, vê a tarefa de sair/chegar a casa tremendamente dificultada. Se estiver numa cadeira de rodas então é missão impossível. A junta tem colocado varandas de ferro junto às escadas. Cada varanda é "inaugurada" com direito a fotos no facebook como se tratasse de uma obra de arte. Dizem eles que é feita para melhorar o acesso às pessoas com mobilidade reduzida mas pergunto eu: para que serve uma varanda se a vereda está cheia de degraus e uma pessoa numa cadeira de rodas não a consegue subir nem descer sozinha? Melhorar e promover a independência de quem vive com dificuldades motoras, é construir rampas ao invés de degraus. Tudo o resto não passa de publicidade enganosa para fingir uma preocupação inexistente e disfarçar a incompetência de quem está no poder.

sábado, 3 de junho de 2017

Crítica literária: O Último Cabalista de Lisboa



Editor: Porto Editora
Data de lançamento: setembro 2013
Nº Páginas: 352


Sinopse: 


Em abril de 1506, durante as celebrações da Páscoa, cerca de dois mil cristãos-novos foram mortos num pogrom em Lisboa e os seus corpos queimados no Rossio. Reinava então D. Manuel, o Venturoso, e os frades incitavam o povo à matança, acusando os cristãos-novos de serem a causa da fome e da peste que flagelavam a cidade. Berequias, sobrinho e discípulo de Abraão Zarco - iluminador e membro respeitado da célebre escola cabalística de Lisboa -, vai encontrar o tio e uma jovem desconhecida mortos na cave que servia de templo secreto desde que a sinagoga fora encerrada pelos cristãos-velhos. Um valioso manuscrito iluminado também desapareceu do seu esconderijo. Estarão os dois incidentes relacionados? Terá sido um cristão ou um judeu, como os indícios fazem crer, a assassinar o tio? Quem será a rapariga morta? Publicado originalmente em Portugal, "O Último Cabalista de Lisboa" é um extraordinário romance histórico, que catapultou o seu autor para um sucesso internacional, tendo sido publicado em toda a Europa, nos Estados Unidos e Brasil, onde depressa se tornou um bestseller.*  


Opinião: 

Este livro foi-me dado por uma amiga. Ao ler o titulo, pensei que ia ser um livro cheio de misticismo mas estava enganada. A historia fala de uma época negra para os judeus que pensavam estar a salvo em Portugal mas as perseguições existiam em todo o lado. 

Berequias é o herói que procura saber quem assassinou o seu tio e onde está o seu irmãozinho que foi levado durante a confusão instalada na cidade. A busca leva-o a vários becos sem saída e no fim, as respostas ficam aquém das expectativas. 

É uma leitura pesada, porém interessante para quem quer saber mais sobre uma época que tanto católicos como judeus, pretendem esquecer. Eu pelo menos desconhecia completamente essa fase do nosso país e fiquei surpreendida com as coisas que li.

Pontuação: 3.5/5


*Sinopse tirada deste site.

quarta-feira, 24 de maio de 2017

E esta hein?!

No nosso país, a notícia do momento é a vinda (com malas e bagagens) da Madonna para Portugal. Dizem que anda à procura de casa e a artista que não faz a coisa por menos, quer uma quinta. A sua nada humilde residência tem de ser daquelas bem grandes, com montes de quartos, piscina, sala de cinema e sabe-se lá mais o quê. Parece que encontrou uma lá pelos lados de Sintra. Faz ela muito bem!

Vi ontem o Salvador e a irmã a falar na rtp mas só apanhei a conversa no fim. Diz o rapaz que é humanista e não ativista, logo não esperem que ele ande a correr o mundo a falar pelos refugiados porque ele não pode. Em compensação, dará a voz por todos aqueles que não são ouvidos e sofrem as maiores atrocidades. Faz ele muito bem!

Na Inglaterra, a notícia do momento tem a ver com um atentado no final do concerto da Ariana Grande (quem é a Ariana Grande? não faço ideia mas pelos vistos, muitos jovens sabem). Vários mortos (mais de 20 segundo a imprensa) e pelo menos o dobro dos feridos. Conclusão: não estamos seguros em lugar nenhum. Nem numa esplanada porque pode vir um terrorista e avança com um camião por cima de toda a gente e nem num concerto que devia ser um lugar de alegria. Será que vai ser sempre assim? Onde estiver um aglomerado de pessoas, haverá sempre risco de aparecer um terrorista? Tempos estranhos estes!   

sábado, 20 de maio de 2017

O meu top 3 da eurovisão 2017

1º A canção da França

Embrasse-moi, dis-moi que tu m’aimes
Fais-moi sourire au beau milieu d’un requiem
Embrasse-moi, dis-moi que tu m’aimes
Fais-moi danser jusqu’à ce que le temps nous reprenne
Ce qu’il a donné


2º A canção da Bélgica

All alone in the danger zone
Are you ready to take my hand?
All alone in the flame of doubt
Are we going to lose it all?


3º A Suécia

I can’t go on, I can’t go on
When you look this freaking beautiful
I can’t go on, I can’t go on
When you look this freaking beautiful


Menção honrosa para a versão da musica portuguesa que o vencedor da eurovisão de 2009 fez. Alexander Rybak


domingo, 14 de maio de 2017

Os 3 F's

foto do site http://radiocomercial.iol.pt/
Fátima, Futebol e Festival.

Num só dia, Portugal teve três alegrias (ou duas se não forem Benfiquistas): Portugal ganhou a eurovisão, o Papa veio e não foi assassinado e o Benfica ganhou o campeonato. É muita emoção e não estamos habituados a tanto!

Soltem foguetes, buzinem à vontade, deem cabo das gargantas para celebrar a vitoria do Benfica!

Congratulem-se pela vinda sã e salva do papa. O homem chegou e ao contrário do que diziam alguns, não houve nenhum atentado. Aleluia!

Salvador Sobral, conseguiu o que nenhum português tinha conseguido até agora na eurovisão: a vitoria. Será justa? Será merecida? Bem, agora que ele ganhou não vou dizer que eu adorava a canção porque não sou falsa. Não era e nunca foi a minha preferida, não gosto da musica, da letra e nem da "personagem". Ainda assim, fiquei feliz, não necessariamente por ele mas por todo um país que ansiava por um lugar lá no topo desde sempre.

Parabéns a todos os vencedores!

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Review de perfume: Thé des Vignes da Caudalie


A Caudalie é uma marca francesa de produtos de beleza. Podemos encontrar perfumes, gel de banho, cremes e hidratantes.

A minha mãe andava atrás de um perfume bom e que não fosse muito caro. Então, perguntou ao farmacêutico se ele tinha alguma sugestão e ele mostrou-lhe o Thé de Vignes. Ficou logo encantada por esta maravilha e agora não quer outro.
O Thé de Vignes tem jasmim, flor de laranjeira, uvas gengibre e mel. A diferença entre este perfume e um daqueles perfumes genéricos que já falei aqui é abismal. Este, por não ser genérico, tem qualidade e isso nota-se logo. Os seus ingredientes são misturados na perfeição e se me perguntarem a que cheira digo que não sei mas cheira bem.
É um perfume para uma mulher de classe, elegante, sexy e confiante. 
Já por várias vezes a minha mãe foi elogiada com este perfume e algumas mulheres até pediram o nome.

Apesar de ser um bom perfume, provavelmente um dos melhores do mercado, ainda não é o meu perfume. Eu como "pikena" simples que sou, acho-o demasiado chique para meu gosto. 

Pontos positivos: Tem um aroma fantástico, não é enjoativo e tem uma boa duração.
Pontos negativos: nada.
Pontuação: 4.5/5 

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Quando o silêncio é a única resposta

Recentemente vi o novo filme do Scorcese: Silêncio. O filme fala sobre um padre jesuíta que é enviado para o Japão, com o objetivo de espalhar a palavra de Deus por aqueles lados. A missão não corre bem e cá em Portugal (sim, o filme é baseado numa história de padres portugueses), surge a noticia de que o padre Ferreira renunciou à fé e agora vive no "bem bom" com mulher e filhos. Os seus alunos não acreditam nisso e dois oferecem-se para ir ver o que aconteceu. Mas não é do filme que eu quero falar. 
Se no filme vemos de forma dura como a fé, tantas vezes intermitente é posta à prova, na vida real as coisas não são diferentes. Quantas vezes pedimos por um sinal, uma resposta ou uma "amostra grátis" que nos indique o caminho certo a seguir mas nada acontece? Quantas vezes pedimos pela cura de quem amamos mas a doença só piora? Quantas vezes pedimos pelo prolongamento da vida de quem amamos (porque é cedo demais para partir) mas a única resposta é o silencio?
Se fizermos estas perguntas a alguém, a resposta será: "mas Deus não é o nosso criado para fazer o que pedimos". Certo. 
Vamos então imaginar este cenário:
Uma criança doente, cheia de febre, acorda a meio da noite e pede agua ao pai. Chama uma vez, duas, três e nada. O que fazer? Fica com sede ou levanta-se e vai buscar o copo com água mesmo sem poder? 
Claro que muitas pessoas pedem coisas desnecessárias como uma casa com piscina, um carro bom ou uma boa conta bancária mas aqui, enquanto vivemos, o mais importante é a saúde. Porque se tivermos saúde, podemos trabalhar, logo ganhamos dinheiro e compramos um carro e uma casa. 
Quando a única resposta que temos não é "sim" nem "não" e muito menos um "talvez", é um nada ensurdecedor, a fé se desvanece até deixar de existir. 

  

sábado, 25 de março de 2017

Questionário de Proust

O questionário Proust tem este nome porque foi encontrado um manuscrito em 1924, escrito por Marcel Proust onde ele respondia a várias perguntas feitas pela sua amiga Antoinette.

01- Qual é a sua maior qualidade?
Honestidade. 

02- E seu o maior defeito?
Teimosia

03- A coisa mais importante num homem? 
Lealdade

04- E numa mulher? 
Também a lealdade.

05- O que é que mais aprecia nos seus amigos? 
Serem meus amigos. 😄

06- A sua actividade favorita é... 
Ver filmes.

07- Qual é a sua ideia de felicidade? 
Viver num mundo sem doenças, fome e pobreza.

08- E o que seria a maior das tragédias? 
Viver num mundo onde existe doença, fome e pobreza.

09- Quem você gostaria de ser, se não fosse você mesmo? 
Ai eu não gostaria de ser outra pessoa.

10- E onde gostaria de viver? 
Numa ilha deserta mas com heliporto, porto e uma ponte elevatória para eu ter sempre alternativas de saída.

11- Qual é a sua cor favorita? 
Vermelho e rosa.

12- E a flor? 
Rosa vermelha.

13- Um pássaro? 
Águia.

14- Os seus autores preferidos? 
Não tenho.

15- E os poetas de que mais gosta? 
Fernando Pessoa.

16- Quem são os seus heróis de ficção? 
O Eric Draven do Corvo.

17- E as heroínas? 
A Alice do Resident Evil.

18- Seu compositor favorito é... 
Não tenho nenhum.

19- E os artistas de que mais gosta?
Ui que a lista é longa... Keanu Reeves, Tom Hardy, Pierce Brosnan, etc.

20- Quem são as suas heroínas na vida real?
A minha mãe. 

21- E os heróis?
O meu pai. 

22- Qual é a sua palavra favorita?
Mississipi. 

23- O que é que mais detesta?
Doenças. 

24- Quais são as personagens históricas que mais despreza? 
Todos os ditadores a começar por Hitler.

25- Quais os dons da Natureza que gostaria de possuir?
Gostaria de ter o dom da cura. 

26- Como gostaria de morrer? 
Não gostaria de morrer mas sim renascer das cinzas como a fénix.

27- Agora, já, como está se sentindo? 
Tranquila.

28- Que defeito é mais fácil perdoar? 
O ciume. 

29- Qual é o lema da sua vida?
Não faças aos outros o que não queres que te façam.

Questionário tirado daqui

quinta-feira, 16 de março de 2017

Cá Nada!

Cá na nossa terra, temos muitos regionalismos. Somos um povo muito dado à brincadeira e por isso mesmo, temos uma certa tendência para dar duplo sentido às coisas. 
Usamos a expressão "cá nada" para a positiva e para a negativa.

Por exemplo:

Positiva:
- Gostavas que te saísse o euromilhões?
- Cá nada! (traduzindo: claro que sim, isso é lá coisa que se pergunte?!).

Negativa:
-  Já te saiu o eurmilhões?
- Cá nada! (traduzindo: saiu mas foi o dinheiro pelo bolso fora).


sexta-feira, 10 de março de 2017

Isto é um bocadinho constrangedor...

...mas como dizia a Amália: não me lembro, não me lembro!

O meu reencontro virtual com os antigos colegas de escola foi no mínimo curioso. Alguns mudaram tanto fisicamente que ficaram irreconhecíveis. Ok, já se passaram 20 anos, as pessoas mudam mas algumas mudaram demais. Uns engordaram, outros emagreceram, ficaram mais velhos, mais feios ou mais bonitos até. Eu, consigo ser reconhecida facilmente porque não mudei muito. O pior é aqueles que não reconheço nem de cara nem de nome mas teimam que me conhecem. E depois lá vem a pergunta do costume: lembras-te de mim?
E eu sem saber o que dizer.
Lembras-te de quando aconteceu isto e aquilo? E eu nada.
Aconteceu-me isso com uma suposta colega de escola. Ela a teimar que me conhecia, quase a implorar para eu dizer que sim e eu só respondi: lembro-me... vagamente... (foi o melhor que consegui para não contrariá-la publicamente).
Já a ficar com uma dor de cabeça daquelas, porque tentava por o tico e o teco a trabalhar e nada... até que... ela conta uma historia que nunca aconteceu e mais outra e mais outra.
Respirei de alivio porque já estava a pensar com os meus botões: prepara-te mulher. Do jeito que isto está, qualquer dia vem o alzheimer! (e eu tenho pavor dessa doença).
Afinal não é a minha memória que enferrujou. É que no meio dos meus colegas de escola, apareceu uma completa desconhecida que inventa histórias para armar-se em defensora dos fracos e oprimidos. Ou então é só uma mentirosa compulsiva. Nunca vi tal coisa mas quero distância.

sábado, 4 de março de 2017

É o que dá ser multifacetada!

Andava eu na minha vidinha virtual, a fazer 1001 coisas ao mesmo tempo, quando recebo notificações de gente desconhecida no meu facebook. Celso, Anacleto, Mariana, Carolina, etc. tudo a aparecer em catadupa. Mau! - pensei eu. Querem ver que é um vírus a possuir o face? e depois se alastrar pelo pc inteiro? Tratei logo de apagar aquilo. Uma hora depois, uma amiga diz-me: 
- Então saíste logo da conversa? 
- Conversa? que conversa? - perguntei eu.
- Era dos antigos colegas de escola que estavam todos juntos no chat. - disse ela.
- Ah era isso? Pensei que era algum vírus e apaguei logo. Como não tinha aqueles nomes nos meus amigos, desconfiei. - disse eu.
Risada geral.
- És mesmo antissocial! - diz ela.
- Sou. E distraída também. As duas coisas juntas não podem dar certo! 😄

quinta-feira, 2 de março de 2017

Rewiew de Perfume: Nicolás White da Yodeyma

O céu brilha, os passarinhos cantam e lá vou eu feliz e saltitante a correr por entre as flores do campo. Fecho os olhos e deixo que o aroma das primeiras flores a desabrochar invadam os meus sentidos, até que... bato com a cara no tronco duma árvore. É esta a sensação que tenho ao cheirar o Nicolás White.

Nicolás White é o genérico do perfume Narciso de Narciso Rodriguez. Diz que tem Gardenia, Rosa branca, almíscar, cedro branco e cedro. Meu queridos, meus amores, minhas jóias! Definitivamente vou ter de deixar-me de genéricos porque este faz-me espirrar. A sério! Nunca me aconteceu isto antes. A culpa só pode ser da gardenia! Maldita!
O perfume não é mau de todo. É floral, ligeiramente enjoativo mas quase infantil. Digo quase, porque à primeira borrifadela parece um perfume de criança mas quando chega o toque amadeirado mudamos ligeiramente de opinião. 

Imagino uma jovemzinha a usar isto. Aquela adolescente que quer ser adulta e procura um perfume de gente grande, sem parecer demasiado formal. Nicolás White fica a meio desse caminho. 
Escusado será dizer que este definitivamente não é o meu perfume.

Pontos positivos: não é tão enjoativo quando o Harpina mas ainda assim chateia após algumas horas. Ah sim, ele aguenta horaaas.
Pontos negativos: fazer-me espirrar é suficientemente mau, não?
Pontuação: 3/5

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

E o oscar vai para...

Estava aqui ontem a pensar: e se trocassem os envelopes e o prémio fosse parar à pessoa errada? Bem, vou ter de ter cuidado com os meus pensamentos porque isso foi mesmo o que aconteceu ontem. O envelope de melhor filme tinha escrito La La Land que até era o vencedor provável mas... O pânico gerou-se porque o verdadeiro vencedor foi Moonlight. E este foi o único momento alto da cerimonia. Vestidos? Cada um pior que o outro. Apostaram muito nos pretos e dourados e só se salvou o da Taraji P. Henson (na foto) que não sendo nada de especial, conseguiu ser o único de jeito naquilo que foi o verdadeiro circo dos horrores da alta-costura.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Tag: Conhecendo-me melhor


Vi esta tag num blog e resolvi responder.



1. Consideras-te uma pessoa do dia ou da noite?
Do dia porque a noite é feita para dormir.

2. Coleccionas alguma coisa?
Não. Bem que eu gostava de coleccionar notas de 500€ mas até agora nem vê-las...


3. Qual era o teu programa preferido em criança?
Novelas brasileiras.


4. Sobre o que pensas antes de dormir?
Ui! é mais fácil perguntar sobre o que não penso porque antes de dormir, vem-me tudo à cabeça.


5. Qual é a tua cor favorita?
Vermelho e rosa. Não consigo escolher entre as duas.


6. És viciada em algum vídeo ou jogo de computador?
Não... mas já fui no farmville. Felizmente passou-me graças aos chatos dos criadores do programa que inventaram missões em cima de missões e eu já não dava mais conta disso.


7. Tens algum hábito mau?
Tendo em conta que a preguiça é o meu pecado nº1, sou muito preguiçosa para ter maus hábitos 👼


8. Tens irmão ou irmã?
Um irmão


9. Tens alguma tatuagem ou piercing?
Não. Sou muito antiquada. Pode não parecer mas sou. Se bem que qualquer dia...


10. Qual é a tua flor favorita?
Rosa vermelha


11. Quando pequena, o que querias ser quando crescesses?
Actriz.


12. O que guardas debaixo da cama?
Pó e não é daquele que dá muito dinheiro. É só sujidade mesmo.


13. Consideras-te organizada ou desarrumada?
Organizada c'est moi. A desarrumação enerva-me.


14. Se pudesses viver em qualquer lugar do mundo onde seria?
humm...quando eu queria ser actriz, sonhava morar em hollywood mas agora pode ser aqui mesmo na Madeira, de preferência numa quinta cheia de árvores, sem vizinhos por perto num raio de 1km (exactamente o oposto do que acontece agora).


15. Qual é o teu filme favorito?
O Corvo com o Brandon Lee


16. Qual o actor ou actriz que dizem que se parece contigo?
Bem, uma vez coloquei uma foto minha na net num daqueles sites que mostram com que famosos somos parecidas e deu Scarlett Johansson. Não pude deixar de concordar que temos airbags muito parecidos de resto... Ah e também deu que sou parecida com uma chinesa por isso estão a ver... é entre americanas e chinesas...


17. Diz uma coisa que as pessoas não sabem sobre ti.

Uma só? Pronto, uma soft: não sei nadar.


18. Qual a última mensagem do teu telemóvel?

Qualquer coisa da Laredoute.

domingo, 19 de fevereiro de 2017

O trauma dos musicais

Quando eu era criança gostava de brincar, como qualquer outra criança. A minha brincadeira preferida era correr. Quando por algum motivo ficava sem os meus amiguinhos de brincadeira, não me chateava nada ficar em casa a ver tv. Gostava de filmes e novelas brasileiras. Normalmente gosto mais dos filmes de acção, drama e terror mas como não gosto de limitar os meus estilos, às vezes faço o sacrifício de ver coisas como comédias, animação ou romance. Porém, há um género que ponho quase 100% de parte: os musicais. Descobri que não sou a única, felizmente. É que na vida real, ninguém anda feito doido a cantarolar as suas alegrias ou tristezas ao mesmo tempo que rodopia no ar, balanceia os pés de forma ritmada ou dá palminhas conforme a musica. Esse é o meu problema com musicais. São ridículos e completamente desnecessários. 
Quase todos os musicais que vi, foram ao acaso (à excepção do fantasma da opera e do mamma mia). 

1996 foi um ano traumático para mim. Achava que o filme Romeu e Julieta com o Di Caprio ia ser um espectáculo porque era um clássico mas não sabia que era um musical. Agora imaginem o meu sofrimento quando me dou conta que aquilo era cantado. Será que vejo? será que não vejo? Ainda vou a tempo de fugir! pensava eu... Mesmo assim fiquei até ao fim porque não sou de desistir a meio. Custou mas era pelo Leonardo di Caprio (ai os sacrifícios que eu faço pelos homens!). 
No mesmo ano, Madonna deu um ar de sua graça no cinema. Eu na maior inocência, achei que podia ser um bom filme porque contava a historia de Evita Péron. Quando oiço o Antonio Banderas cantar já pensei em fugir...  depois vem a Madonna, o Banderas e assim sucessivamente. Aguentei bravamente até ao fim.

Em 2006 surgiu o filme 300. Relutei em ver porque achei que um filme a lembrar as lojas baratuchas não podia ser grande coisas mas enganei-me. 300 homens musculosos num só filme? I'm in heaven!!! Não, o filme não é um musical mas tem o Gerard Butler que era a minha obsessão da altura e devorei todos os filmes dele, incluindo o fantasma da opera. E sim, eu ADOREI o fantasma da opera. É o único musical que eu vi e revi porque além de ter musicas fantásticas, é dark, intenso e tem o "meu" Butler.

Em 2008 apareceu o Mamma Mia e eu só vi porque tinha as musicas dos Abba que escuto desde criança. Ainda por cima tinha o meu "cota" preferido que é o Pierce Brosnan. Ele canta tão mal mas tãooo mal que chega a ser engraçado. Mesmo assim, ele bem podia desafinar ao meu ouvido que eu não me importava nada. Ah, se gostei do filme? Claro que não. Sorry Meryl... mas tenho as musicas no pc.

Isto tudo para dizer que o filme queridinho para os oscares, o "La La Land" vai passar-me completamente ao lado porque o Ryan Gosling não me aquece nem arrefece e para ver um musical, preciso de um gajo bom, oops! bom motivo.  👼

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

O regresso das sombras

2017 é o ano de regresso de "cinquenta sombras" ao cinema. Este ano, tal como aconteceu com o primeiro filme, a estreia foi no dia dos namorados. Como li o livro, claro que também tinha de ver o filme para poder comparar.
Se o livro não vai parar à lista dos "a não perder", o filme segue o mesmo rumo mas não vou falar dele aqui.
Quero falar sobre o quanto as pessoas levam a sério um livro ou um filme e como aparentemente, tanto um como outro, podem revelar um pouco da personalidade do espectador/leitor.
As feministas de plantão acham que cinquenta sombras são um insulto à independência das mulheres, à sua luta pela igualdade de direitos e à sua emancipação. Pelos vistos, gostar de umas palmadinhas de vez em quando é vergonhoso. Chicotes, algemas e sabe-se lá mais o quê, são objectos que deviam ser banidos da face da Terra. Meninas, relaxem! É só uma obra de ficção!


Onde é que está escrito que uma leitura define uma personalidade? Porque é que tudo tem de ser tão sério e intelectual? Será que as pessoas não podem aprender a relaxar e não levar tudo tão a peito?

Eu gosto de filmes de terror (sobrenatural) mas nem por isso tenho vontade de ver um fantasma. Gostei de ler o cinquenta sombras mas nem por isso quero ser algemada ou chicoteada. Não levem tudo tão a sério!

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Review de Perfume: Red da Yodeyma

Como já leram num texto anterior, iniciei uma busca pelo perfume com o qual me identifico. Como o tempo não está para gastos exorbitantes, comecei pelos genéricos da Yodeyma
Após uma longa e intensa pesquisa por um perfume sexy, envolvente e quente (sem ser vulgar), a sugestão que me saiu na rifa foi o Hypnotic Poison da Dior. O seu equivalente genérico chama-se Red na Yodeyma.
Red tem notas de baunilha amêndoas, coco e alperce. O seu aroma é doce, frutado e com talco. 
Minhas amigas e meus amigos... ou o meu nariz avariou ou estou com um problema grave em identificar tais maravilhas. Red só me cheira a... uma biblioteca antiga cheia de livros velhos. Juro que é a única coisa que me vem à cabeça quando sinto este perfume. Imaginem uma bibliotecária daquelas bem idosas que está a trabalhar no mesmo sitio há anos e por mais perfumada que ela esteja, o cheiro da madeira e dos livros confunde-se com o cheiro dela. Não é sexy, não é sensual e o pior é que não me sinto mais inteligente por cheirar a livros. 😄 Apesar do perfume não estar na categoria dos amadeirados, só me cheira a madeira. Descobri que é feito com uma árvore chamada jacarandá da banhia. Meus amigos de fé, meus irmãos camaradas... só sinto isso.
Ah a longevidade é prolongada e aguenta dois dias na roupa sem exagero. Aliás, pus a roupa que tinha este perfume a lavar na máquina e não é que ainda consigo senti-lo?

Escusado será dizer que esta foi mais uma experiência olfactiva desastrosa e definitivamente este não é o meu perfume. Não é que ele seja mau de todo. Não ofende o nariz apesar de durar bastante mas é chatinho e monótono. É daqueles perfumes que pode ser usado por quem lida com o publico porque não vai afastar ninguém mas também não vai arrancar elogios. 
Dior e eu certamente não combinamos. 

Pontos positivos: humm... ser de longa duração?
Pontos negativos: monótono, aborrecido, nada sexy e "sofrível".
Pontuação: 3/5

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

A marcha das mulheres

No ultimo sábado (21 de Janeiro), 4 milhões de pessoas em diversos países juntaram-se para protestar. E protestaram sobre o quê? Protestaram contra as desigualdades, o preconceito e as injustiças sociais, principalmente em relação às mulheres. Tudo isto em pleno século XXI! Porque ainda é preciso. A vitoria de Donald Trump veio reacender os ânimos. Crê-se que o novo presidente da América não será o melhor exemplo na defesa desses direitos e assim, mais marchas serão feitas nos tempos vindouros.

O muro de Berlim, ups! o muro que separará os Estados Unidos do México, já foi aprovado pelo presidente, os tempos de tortura vão voltar e todo o mundo treme. Querem ver que vai haver um presidente a cumprir as promessas eleitorais? O pior é não haver motivos para festejar... 😕

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

A minha nova mania


Ultimamente dei por mim a pensar: toda a gente tem um perfume com o qual identifica-se... menos eu! Ora bolas, isto para uma mulher é vergonhoso. Vai daí, encetei (esta palavra sempre soou-me estranha mas agora apeteceu-me), uma busca pelo MEU perfume. Três tentativas, três desastres completos (e o ano ainda mal começou).

A minha relação com perfumes sempre foi má. Raro havia um que não me provocasse dores de cabeça. Felizmente isso já não acontece mas em compensação, ainda não achei o tal.

Quando cheiro um perfume, a minha mente viaja automaticamente. Penso que tipo de pessoa o usaria, onde como e quando. Que profissão terá? o que pretende? E finalmente, será que eu o usaria? 

Quero um perfume sexy sem ser vulgar, feminino mas não floral, forte mas suave e... ah! misterioso. Sugestões?

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Review de perfume: Harpina da Yodeyma

A que cheira uma mulher alta, magra, linda e loira? Essa foi a pergunta que eu fiz aos meus botões quando vi o anuncio do perfume J'Adore da Dior com a Charlize Theron. Como não tenho 100€ para dar por um frasco de perfume, procurei uma alternativa. Foi assim que encontrei a Yodeyma, uma marca de perfumes genéricos semelhantes às marcas caras mas a um preço bem mais convidativo. 

Harpina é o genérico proposto pela Yodeyma para imitar o J'Adore da Dior. Dizem as boas línguas que é parecido. Não posso confirmar ou desmentir porque nunca senti o perfume original. 

Harpina cheira a flores. Demasiado. No começo achamos que é bom. É forte,  feminino e "adulto". Não é um perfume para adolescentes. Infelizmente as suas qualidades são também os seus defeitos. O aroma inicialmente agradável, torna-se irritante após pouco tempo (em 5 minutos já entramos em desespero). É como se levássemos com um ramo de flores pelo nariz dentro durante 24 horas. 24 sim! Basta uma borrifadela e o perfume dura e dura. Entranha-se nas roupas, nos lençóis, nos cobertores e desconfio até que na alma da pessoa. Das três vezes que usei arrependi-me porque definitivamente não faz o meu género.

Pontos positivos: Longa duração.
Pontos negativos: Demasiado floral e por isso a longa duração é também um ponto negativo.
Pontuação: 2/5